Menu

Aprofundamento da Fé

     Catequese
     Alicerce

Celebração da Fé

     Liturgia

Missão

     Conselho Pastoral
     Gestão da Casa
     Missões
     Cultura

Outras Opções

     Links
     Sugestões
     Envio de Notícias
     Livro de Visitas

 

Qual é para si o melhor lugar ?

Aniversário da morte de
Arnaldo Janssen - 15 Janeiro 1909
José Freinademetz
- 28 Janeiro 1908

Quem foi José Freinademetz?

 

José Freinademetz nasceu no dia 15 de Abril de 1852 em Oies, um pequeno povoado entre os Alpes Dolomitas do norte de Itália.

Baptizado no próprio dia do nascimento, herdou de sua família uma fé simples, mas firme, e um grande espírito de trabalho.

 

Em 1872, entrou no seminário maior diocesano de Bressanone (Brixen), onde completou os estudos teológicos.

Ordenado sacerdote em 25 de Julho de 1875, foi destinado pelo seu bispo para a comunidade de S. Martinho di Badia. Humilde, generoso, rico em humanidade e sincero, logo ganhou o coração de todos.

 

 

A sua crescente preocupação pelas missões levou-o a solicitar, em 1878, a admissão na casa missionária de Steyl, recentemente fundada pelo P. Arnaldo Janssen.

 

Depois de um tempo de preparação e de uma longa viagem, chegou à China em princípios de Agosto de 1879, onde juntamente com o P. João Batista Anzer, se encarrega da missão de Shantung-Sul, que contava com 12 milhões de habitantes e apenas 158 baptizados.

 

 

Desde o princípio, José Freinademetz procurou inculturar-se na difícil cultura chinesa. Quis aprender o chinês na perfeição; mas antes de tudo, procurou chegar ao coração dos chineses, entrar nos seus problemas, comer e vestir como eles. Numa carta que escreveu aos seus pais, em 1886, dizia:
Amo a China e os chineses e desejaria morrer mil vezes por eles. No meio deles quero morrer e entre eles ser sepultado”.

 

Durante os 27 anos da sua vida na China, José Freinademetz desempenhou vários cargos como superior. No entanto, o que lhe importava era ser um irmão maior que fala com o seu exemplo e com a sua vida, mais do que com a lei.

Foram anos muito duros, marcados por longas e difíceis viagens, assaltos de bandoleiros e um árduo trabalho para formar as primeiras comunidades cristãs. Mas, como missionário, nunca fugiu nem desanimou perante os inúmeros compromissos.

 

Em 1900, depois de 20 anos de trabalho ininterrupto na China, por ocasião do 25º aniversário da Congregação, o P. Arnaldo Janssen convidou-o a vir a Steyl para participar nas celebrações comemorativas, mas José Freinademetz recusou, cortês mas firmemente, regressar à Europa. Era o tempo da luta dos boxers” contra os europeus. Quando os outros missionários, seguindo a ordem das autoridades eclesiásticas, abandonaram as missões e se refugiaram no porto de Tsingtao sob protecção alemã, José Freinademetz preferiu permanecer junto dos seus cristãos e sofrer com eles, mesmo sabendo do perigo a que se expunha.

 

O trabalho incessante e as privações, com os anos, foram abalando o seu físico esbelto e robusto. Quando o bispo Anzer se deslocou à Europa, José Freinademetz assumiu a administração da diocese. Durante este período eclodiu uma epidemia de tifo e José, como bom pastor, não poupou esforços e a todos ofereceu a sua incansável assistência, acabando por contrair também ele a doença, vindo a falecer no dia 28 de Janeiro de 1908.

Nascido ao pé do monte de Santa Cruz, foi sepultado em Taikia, Shantung, sob a 12ª estação da Via-Sacra. O seu túmulo tornou-se rapidamente um ponto de referência e de peregrinação para os cristãos chineses.

fonte: verbodivino.pt

 

Voltar para a página anterior